Como Fazer uma Carta de Apresentação

Um Currículo pode ter muita força e abrir portas para encontrar o emprego que você procura, contudo, se juntar a sua carta de apresentação, você aumentará muito as possibilidades do seu perfil ser guardado. Mas na hora de começar, você se pergunta: “Como fazer uma carta de apresentação?”. Então:

Leia e siga estes 10 conselhos para fazer uma carta de apresentação profissional.

Junte ao Currículo a sua carta de apresentação, mesmo que não considere necessário

Algumas pessoas consideram desnecessário dedicar tempo para redigir sua carta de apresentação. Sim, alguns empregadores a ignoram e passam direto para o Curriculum Vitae, mas a grande maioria não. Se você incluir a sua carta de apresentação para Currículo e ninguém a ler, é responsabilidade do empregador, mas se não a incluir e ele a procurar, então a falta dela será notada. E melhor não se arriscar.

Como começar a sua carta de apresentação?

Esta talvez seja a única oportunidade de estabelecer contato com o seu empregador. Portanto, prepare uma frase de efeito ou algo que possa persuadi-lo a continuar lendo a sua carta de motivação.

Evite frases no condicional. Por exemplo: “Teria interesse em integrar a sua distinta empresa…” e prefira as que indicam ação: “Estou pronto para começar a…” e que demonstrem a sua motivação para fazer parte da empresa.

Como estruturar a sua carta de motivação?

Uma forma simples, mas eficaz, de organizar a informação é com a fórmula você – eu – nós.

Comece saudando a pessoa que lê a sua carta de apresentação, mencionando alguns aspectos relevantes que saiba sobre a empresa. O que sabe sobre ela? Do que você gosta com relação aquilo que conhece?

Então mencione quem você é e o que pode fazer pela empresa. Em seguida, passe a descrever como imagina o impacto do seu trabalho. Procure fazer o empregador imaginar o “nós” incluindo você. Como seria “Editora De Tal” com “João da Silva”?

Personalize a sua carta de apresentação conforme a empresa

Tudo bem que você queira poupar tempo e energia, mas na hora de conseguir o seu emprego esta pode ser uma opção pouco inteligente. Não copie e cole informações de outras cartas de motivação, nem tenha planilhas fixas.

Claro que um modelo pré-definido pode ajudar. Entretanto, o conteúdo vai variar inevitavelmente conforme a empresa a que você se dirige. Você jamais poderá apresentar a mesma carta de apresentação para candidatar-se a um emprego no setor de venda de equipamentos médicos e no setor de restauração.

Fale sobre si, mas não exagere, não entedie ninguém

É conveniente utilizar um tom comedido ao referir-se a você e às suas capacidades. Sabemos que você pode realizar um trabalho extraordinário no cargo a que está se candidatando, mas ninguém quer ler que você tem super poderes. Para falar sobre si, inclua fatos específicos e concretos.

“Sou advogada diplomada pela universidade de…, motivada por…” é preferível a “sou advogada com excelentes qualificações e uma experiência invejável…”

Seu aspecto fala sobre você. Sua ortografia também

Cuide para que sua foto seja muito boa. Você tem dois bacharelados, um mestrado e um doutorado, mas se cometer erros de ortografia ou se a sua redação apresentar falhas muito chamativas de sintaxe, você perderá muitos pontos e isso pode fazer com que o empregador nem sequer leve em conta a sua carta de apresentação.

Por outro lado, se não tem muita experiência ou formação, o fato de redigir um texto correto fará aumentar a percepção positiva com relação a você. Já que isto demonstra que é uma pessoa detalhista e que se preocupa em fazer bem as coisas.

A quem dirigir a sua carta de apresentação?

Imagine andar pela rua saudando a torno e a direito sem dirigir-se à pessoa específica. Melhor não agir assim! Isso não ocorre na vida real, a sua saudação sempre é dirigida a alguém. O mesmo aplica-se a sua carta. Você deve dirigir a sua carta de apresentação à empresa que oferece o emprego ou à pessoa que a lerá (se souber o nome).

Cuidado com o idioma

Se você é brasileiro e procura trabalho em uma empresa brasileira, escreva em português. Lógico, não? Mas tenha cuidado, pois às vezes utilizamos palavras de outros idiomas para referir-nos a coisas ou ações do nosso idioma. Se forem palavras emprestadas do inglês, são conhecidas como anglicismos, e são muito comuns hoje em dia.Por exemplo, dizer que você está “conectado em determinada hora do dia” é diferente de dizer que está “online”.O mesmo aplica-se a carta escritas em outros idiomas. Se você não tem domínio do idioma em que escreve, prefira a ajuda de alguém que possa assessorá-lo. Ver o nosso modelo de Currículo em inglês para preencher.

Demonstre que você quer o emprego

Ao encerrar a sua carta de motivação, deixe claro que gostaria muito de agendar uma entrevista o quanto antes possível. Ao encerrar com frases que levem à ação, você aumenta a possibilidade do empregador entrar em contato e que perceba o seu interesse.Não receie parecer chato ou chata. Justo o contrário. É um cargo que lhe interessa e por isso está dedicando energia valiosa.
5 - 2 votos